Estudantes promovem manifesto “Sinalização Já” na porta da UNIUBE nesta quarta – Entrevista Exclusiva com Franco Cartafina (presidente do Diretório Acadêmico Leopoldino de Oliveira – DALO)

Não é de hoje que o problema na Avenida Nenê Sabino é matéria de discussão nos jornais regionais e entre os estudantes e residentes das proximidades.
Atravessar a rua de frente a Universidade de Uberaba (Uniube) nos horário do começo e final das aulas é digno de Maurrem Maggi mesmo (última campanha da Uniube…
Vendo que nada é feito nunca, estudantes organizam mobilização por mudanças no trânsito em frente a Universidade (Uniube). Marcado para o próximo dia 27 (quarta-feira), às 17h30, o protesto denominado “Sinalização Já” se concentrará em frente dos abrigos de ônibus instalados na calçada externa do campus II (aeroporto), situado na própria avenida Nenê Sabino.
Consiguimos de primeira mão uma entrevista rápida com o Presidente do Diretório Acadêmico Leopoldino de Oliveira – DALO, Franco Cartafina, que exclareceu alguns ítens importantes referentes ao manifesto. Acompanhe:
1) Para quais tipos de mudanças no trânsitos vocês almejam chamar atenção das autoridades com o manifesto?

A manifestação tem como intuito, chamar a atenção dos estudantes, uberabenses e principalmente das autoridades responsáveis para que estes possam intervir na implementação de uma sinalização adequada nas saidas da UNIUBE, onde milhares de pedestres, sendo eles alunos e também cidadãos trafegam diuturnamente sem a devida segurança. O resultado, são os graves acidentes, em decorrência dessa falta de sinalização, expondo os pedestres a um risco desnecessário e notório. Juntamente com os responsáveis por esta sinalização gostariamos de saber qual é a mais adequada para o local, por exemplo faixa de pedestre, semáforo, passarela, auxilio da guarda municipal, etc; para que seja solucionado esse problema no local. Além, das adequações para que nossos colegas portadores de deficiências possam transitar com dignidade e que façamos valer a inclusão social que é tão bonita de se falar mas muitas vezes difícil de se ver acontecer.

2) Se o manifesto não repercurtir efeito, vocês têm um ”plano B” para tentar as mudanças?

Estamos confiantes na repercussão do “Manifesto Sinalização Já”, mas de toda forma queremos fazer uma reunião com as autoridades competentes para dialogarmos sobre o assunto e também para apresentar um abaixo-assinado com milhares de assinaturas de estudantes. Além disso, dentro da Universidade incentivaremos a implementação de palestras sobre educação no trânsito.

3) Por conta do Projeto Água Viva, há guarda municipal fazendo controle de tráfego na Avenida Leopoldino de Oliveira, por exemplo. Guarda Municipal estão nos planos de melhorias para o trânsito do local?

Caso seja constatado que a intervenção da Guarda Municipal no auxílio do tráfego é a melhor e mais adequada opção para o local, poderá sim ser uma forma de evitarmos mais acidentes e acima de tudo darmos segurança para os pedestres que passam por estes pontos.

4) A Universidade tem papel fundamental para que algo seja feito ali, ou o manifesto acontecerá ali (Avenida Nenê Sabino – frente a Universidade de Uberaba) pelo fato de ser o exato local do problema?

Acredito que a Universidade tem interesse sim em solucionar o problema que estamos apontando e que é crônico no local, uma vez que as mundanças trarão resultados benéficos para o tráfego, nos momentos mais tumultuados, zelando assim da integridade física dos pedestres, os quais em sua maioria são acadêmicos da instituição.

Agradecemos desde já a participação do Franco, que cedeu gentilmente o espaço para nós da Biomedicina estarmos acompanhando o manifesto que acontece amanhã para trazer em primeira mão os resultados.
O problema é sério e requer mudanças mesmo, qualquer estudante da Universidade de Uberaba sabe falar sobre.
Esperamos que surta efeito positivo e que os resultados do manifesto sem muito satisfatórios, afinal, a vida acadêmica da Uniube precisa de mudanças, e essa é uma das.

Uma resposta

  1. Talles, os manifestos São sadio sim. . . Com toda certeza. Eu não recrimino e jamais recriminei as manifestações. Aliás, desde os meus 14 anos quando comecei a trabalhar de officeboy no Banco Mercantil do Brasil, na praça 7, 15 andar, EM Belo Horizonte-mg, observava e às vezes participava dos mega manifestos.
    É que às vezes vejo às pessoas manifestando sem conteúdo do contexto e eu quis colaborar pedindo que antes poderiam ir ver o projeto na seplan!!
    O projeto inclui alterar áreas públicas e privadas, vc sabia? Tem questões jurídicas arroladas. O prefeito não pode arrevelia sair fazendo às coisas. Só em estado de calamidade pública ou coisa do gênero.
    Ok? Só isso. .
    Em tempo: Você faz biomedicina? Saiba que fui da primeira turma, quando o diretor fundador era o Fahim, meu amigo! Pergunte pra ele se eu não protestava por melhorias ou promessas ainda não realizadas? Um abraço e bom protesto! Boa sorte!

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: