Alunos recebem material deixado em escola atacada no RJ nesta segunda

O site G1 publicou nesta segunda feria que o dia começa,  na escola Tasso da Silveira em Realengo, atacada no ultimo dia 7 pelo monstro Wellington com limpeza da unidade no quarto dia após a tragédia. Atividades de artes serão realizadas na Tasso da Silveira, nesta manhã e começará a ser devolvido na tarde desta segunda-feira (11) o material deixado nas salas pelos alunos da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, alvo do ataque que deixou 12 crianças mortas na última quinta-feira (7). O local da tragédia passará por limpeza e reformas. “Hoje nos temos duas ações definidas: primeiro é a limpeza do espaço físico, que foi liberado pela polícia; e o início da distribuição do material que as crianças deixaram para trás, por conta da correria da desocupação”, explicou o diretor da escola, Luis Marduk. Também nesta segunda haverá atividades de expressão de artes. “Vamos usar o muro da escola como um grande painel de artes, onde serão aplicados mosaicos, que vão ser registrados todos os sentimentos de esperança e todas as mensagens que estamos recebendo de solidariedade. Nossa intenção é retomar o espaço do terror com expressão de arte.”, explicou Luis. Segundo o diretor, ainda esta semana haverá uma reunião de professores responsáveis, com o objetivo de formar uma comissão e agendar uma reunião com autoridades. O anúncio da limpeza e da reforma da esola foi dado no domingo (11), pela secretária municipal de educação, Claudia Costin, que visitou o local. Neste domingo (10), moradores fizeram homenagem com faixa às vítimas da tragédia na escola Tasso da Silveira. Na outra segunda-feira (18), pretendemos fazer uma grande festa para a reinvenção da escola, com a presença de todos os alunos e pais. Queremos que eles participem do que o diretor chamou de escola fênix, que ressurge”, disse ela. A secretária se referiu a uma expressão usada pelo diretor Luis Marduk em entrevista exclusiva ao G1, quando afirmou que buscará resgatar o local para receber os alunos. Na próxima quarta-feira, as escolas da rede municipal irão parar por duas horas para discutir “melhorias gerais na rede após este episódio”. As unidades remeterão um documento à secretaria, que irá verificar o que pode ser feito. Duas crianças seguem em estado grave A menina de 13 anos internada no Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, após o ataque a escola, saiu do estado grave e se encontra em um quadro estável, de acordo com o último boletim divulgado pela assessoria da Secretaria estadual de Saúde, neste domingo (10). Ela foi atingida no abdômen e na coluna e foi operada no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. A menina já respira espontaneamente e está lúcida. Ao todo, dez vítimas ainda estão hospitalizadas em seis unidades do estado, duas delas seguem em estado grave. O corpo do atirador Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, segue no Instituto Médico Legal (IML) neste domingo (10). Segundo o IML, será dado um prazo de 15 dias para algum familiar fazer a retirada, do contrário, o rapaz será enterrado como “corpo não reclamado”.

Por: Carol Estevam

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: